Feminino X Masculino: esses aspectos estão equilibrados em você?


Feminino X Masculino: esses aspectos estão equilibrados em você?

Sobre a complexa relação entre homem e mulher, selecionei uma interessante visão que o autor Jung apontou referente à união dos aspectos feminino com os masculinos. Acredito que essa reflexão pode nos ajudar a elucidar esse tema.

Ele explica que a nossa psique é andrógina, ou seja, contém componentes masculinos e femininos. Sendo assim, cada indivíduo carrega dentro de si ambos os lados.

A união das polaridades é a busca do equilíbrio e a conquista da totalidade. Para o indivíduo se tornar um ser completo é preciso desenvolver esses dois lados da psique, o masculino e o feminino.

Isso não quer dizer que nós precisamos ter um relacionamento para nos tornarmos completos, mas precisamos integrar essas polaridades internamente. Segundo Jung, como consequência dessa maturidade psíquica, será possível ter relações melhores.

Vou explicar melhor: quando um homem desenvolve a força do seu lado feminino, na verdade ele está integrando suas partes e completando a sua masculinidade. O mesmo também ocorre com a mulher. Quando ela aprende a lidar com seu lado masculino, está desenvolvendo a sua feminilidade.

O lado feminino que existe dentro de todos os homens Jung chama de Anima. Essa denominação se refere aos aspectos femininos que vivem dentro da psique do homem. Anima significa “alma”, a parte que consegue fazer a ligação com a parte mais divina que existe dentro do humano.

Já a mulher possui a estrutura psicológica masculina chamada Animus (representa o homem interior na psique da mulher).

Anima e Animus são imagens que cada um carrega dentro de si em relação ao sexo oposto, e essas imagens são inconscientes e projetadas na pessoa com a qual está se relacionando: a mulher projeta o Animus no parceiro e o homem projeta a Anima na parceira.

Portanto, sem nos darmos conta, inconscientemente, existem razões pela qual a atração ocorre.

Quando essas duas partes que carregamos dentro de nós, a porção masculina e a feminina, não estão em equilíbrio, isso reflete fortemente nas relações.

Por exemplo: uma mulher que ativa negativamente seu animus (a parte masculina), querendo ser sempre certa, com sede de poder e crítica, muito provavelmente terá dificuldade em manter uma relação saudável com o seu companheiro. Dessa forma, a mulher fica solitária e afastada do contato social.

Esclarecer esse conceito pode nos ajudar a alinhar dentro de nós esses dois aspectos e, assim, podemos construir uma relação mais amorosa e satisfatória.

A autora Raïssa Cavalcanti fez uma interessante analogia da expressão do masculino com o sol e do feminino com a lua.

O sol está vinculado aos valores da consciência, ele clareia e permite que haja organização lógica, está voltado para o plano do exterior, tem atitudes retas e concretas em relação à vida. O nascer do sol anuncia o despertar, ordena, discrimina e define objetivo. É uma força penetrante.

Enquanto a lua, que simboliza a feminilidade, tem como característica o inconsciente, o irregular, como podemos ver nas várias fases da lua. O luar encanta os enamorados favorecendo o encontro, criando um cenário que propicia a relação íntima. Tem a ver com flexibilidade e receptividade.

Repare que o espermatozoide se dirige agilmente em direção ao óvulo: isso nos demonstra e exemplifica como o masculino está mais voltado para a ação, assim como o feminino está associado ao acolhimento e a nutrição, já que recebe o espermatozoide.

A lua é vinculada à fertilidade, controla o fluxo das marés, o movimento dos líquidos.

E na sua vida: qual lado você tem deixado mais se manifestar, o sol ou a lua?

Deixar um lado predominar não é recomendado, precisa haver o equilíbrio para ter uma vida satisfatória. Caso o sol se manifeste em excesso, pode queimar. A exposição demasiada à claridade faz com que as relações se tornem muito duras não havendo espaço para o acalento. Em espaços áridos fica insuportável viver.

Agora, se deixar o lado lua dominar, o terreno úmido demais não germina. Se o aspecto da lua estiver descompensado e a atividade do cuidar for desmedida, pode “afogar” e “sufocar” o seu companheiro.

Complementação e cooperação não há rivalidade nem conflito. O encontro das O claro pressupõe o escuro. Quando o homem e a mulher aprendem a viver em comunhão não haverá disputa. Cada um reina exercendo a sua função. Onde há polaridades permite-se que ocorra o casamento sagrado.

Utilize o seu relacionamento para desenvolver seus aspectos mais nobres e favoreça o caminho do seu companheiro. Equalize as expressões do seu sol e da sua lua. Conviver com pessoas equilibradas é muito mais atraente e cativante. Se você está solteiro(a) e deseja um companheiro, reflita sobre o seu comportamento e avalie as suas atitudes sobre qual tipo de pessoa poderá atrair.

A mulher pode usar da linguagem do sutil, a força da leveza, a esperteza da criatividade para realizar o seu próprio crescimento. O lado feminino tem como característica a receptividade e nutri o que precisa ser nutrido. Ao respeitar a sua natureza feminina gera-se harmonia na vida.

O homem que age com firmeza e clareza ajuda a estabelecer as regras e definir limites. Faz o corte no momento necessário. Mantém o foco e o direcionamento das realizações.

Para o processo da individualização será necessário que cada um harmonize os aspectos dentro do seu psiquismo (internamente) e a relação a dois poderá ser uma dinâmica facilitadora para a conquista da plenitude e o resgate de uma vida mais rica de amor.

 

Com amor,

Regiane

www.regianeromero.com.br

 

Data da publicação no site do Renascimento 21/09/2013