Qual a sua loucura?


Sem a loucura, que é um homem mais que uma besta sadia? É um cadáver adiado que procria.” (Fernando Pessoa)


 

Em um mundo no qual é permitido e, muitas vezes valorizado, atitudes como tirar vantagem sobre o outro, assim como a busca insaciável pelo poder, pode ser que nossos parâmetros de normalidade não estejam tão bons assim, não é mesmo?

 

Semana passada ocorreu aqui em São Paulo a virada zen. Assisti a uma palestra do Prem Baba, um mestre espiritual que reforçou a importância de perceber qual a nossa loucura.

 

Acredito que esse jeito divertido que ele usou para acionar a consciência ajudou a derreter as certezas que endurecem as pessoas.

 

Temos que estar sempre alertas para não acharmos que o problema e a loucura está somente no outro.

 

Afinal, qual a sua loucura?

 

O jeito descontraído que ele usou para chamar a atenção das pessoas presentes me ajudou a perceber que a insanidade que carregamos é o portal para nos tornarmos lúcidos.

 

Não há um ser humano que não tenha algum aspecto para se trabalhar.

 

Eu, você, todos nós precisamos dar conta da nossa loucura e, assim, por meio da nossa consciência, vamos iluminando os nossos devaneios e nos tornando pessoa mais inteiras.

 

O paradoxo de que é pela insanidade que nos tornaremos sãos é de extrema coerência. Não é possível progredir no despertar da consciência se não tomarmos conta da nossa sombra.

 

Muitos líderes espirituais, pessoas que estão alguns passos a nossa frente, reforçam a questão que cuidar das nossas faltas, insatisfações e sombras é como um meio para termos uma vida mais plena.

 

Eles também nos dizem que negar as nossas dores nunca foi uma boa saída.  

 

Pensando nesse assunto gravei o vídeo:

Qual a sua loucura?

 

Espero seus comentário e quero saber qual é a sua loucura, ok?

 

Grande beijo

Com amor, Regiane

www.regianeromero.com.br