Óbvio


Eu gosto do gosto da coragem! E quem não gosta? A verdade, a transparência, a naturalidade exige de nós um toque imoral.

Ultimamente venho dedicando a minha atenção para perceber quando eu me escondo, mascaro minhas fraquezas por detrás das artimanhas e me falsifico por debaixo das meias verdades. Não é um trabalho fácil.

Existe aquela frase que omitir não é mentir. Será? Será que quando não somos claros, colocando sobre a mesa nossas intenções, as nossas vontades, ainda assim podemos sentir que fomos honestos?

Fica aí a pergunta para nossa reflexão!

Muitos acreditam que não precisam ser tão explícitos e acham ser desnecessário falar o óbvio. Eu acredito que é fundamental falar sobre o óbvio. É uma forma delicada de expor a nossa ideia e conferir com o outro se entendeu a mensagem e se está de acordo.

Cuidar dos detalhes, estar atento COMO se fala, abrir espaço para o outro expor o que compreendeu, ajuda a ganhar tempo e agiliza o processo, pois todos estarão unidos com o mesmo objetivo.

Existem pessoas que acreditam que ficar checando o que foi falado atrasa o processo. Até entendo que o mundo dinâmico em que vivemos exige de nós uma certa velocidade, mas conferir com a pessoa o que ela entendeu tem grandes benefícios.

Quando corremos e não damos a importância de falar o óbvio, na maioria das vezes, atrasamos o processo, porque cada um acaba fazendo a atividade pelo que entendeu e não por aquilo que ficou combinado.

Quando temos uma ideia na cabeça e não colocamos de forma clara para o outro, podemos causar mal-estar. Nós também somos responsáveis pelo que causamos nos outros, pois isso revela a nossa ação no mundo. Nós somos inteiramente responsáveis pelo que fazemos e por aquilo que ativamos no outro.

Gravei um vídeo contando porque esse tema atravessou a minha vida . Dá uma olhadinha!

 

Assista ao vídeo - Óbvio

 

Com amor, Regiane

www.regianeromero.com.br