Mulheres que correm com os lobos - Entrevista com Juliana bazanelli - LaLoba


Você conhece o livro “Mulheres que correm com os lobos”?

 

Esse livro realmente é incrível!

Nele, Clarissa Pinkola, psicóloga junguiana, escreveu sobre o universo feminino e revela a postura da mulher selvagem como um caminho natural para o despertar da alma feminina.

O arquétipo da mulher selvagem remete à ideia da mulher saber cuidar de si e do seu povo e, ao mesmo tempo, conseguir farejar o perigo e se defender caso esteja em perigo. É dona de si e sabe ocupar o seu lugar sem demora.

O livro convida as mulheres a estarem de posse da sua força e confiança. Ele ajuda a quebrar o mito da mulher mocinha (indefesa e frágil) e instiga nossos instintos para reconhecer a nossa natureza e a nossa força que pulsa em nosso Ser.

Reconecta-nos à sabedoria ancestral da terra e à importância de estarmos unidas com a nossa natureza interior reconhecendo nossos ciclos, nossos sentimentos e nossos valores, além de nos ajudar a relembrar da nossa natureza que é acolhedora, cuidadora, forte e sábia.

A escritora faz uma união surpreendente entre a mulher e os lobos.

Comenta que os lobos e as mulheres são gregários por natureza, curiosos, dotados de grande resistência e força. São profundamente intuitivos e têm grande preocupação para com seus filhotes, seu parceiro e sua matilha. Têm experiência em se adaptar a circunstâncias em constante mutação. Têm uma determinação feroz e extrema coragem.”

Assisti a peça inspirado no livro com a atriz Juliana Bazanelli que conta como o universo da mulher selvagem a inspirou para criar e interpretar a peça.

Juliana, em sua própria descoberta, nos entrega uma linda e envolvente entrevista com percepções extremamente importantes do mundo feminino e como podemos desenvolver a nossa força pessoal e ouvir os chamados que vêm do coração.

Ao assistir a peça fiquei profundamente tocada.

 

Assista aqui a entrevista com a atriz Juliana Bazanelli.

 

Ela é doce, delicada e uma incrível guerreira que faz da sua arte um acalento para todas nós.

Conheçam o trabalho dessa talentosa e acolhedora mulher! É só uma recomendação do meu coração, sem intenção de promovê-la, mas com a minha vontade verdadeira para que mais pessoas sejam tocadas pela LaLoba!

O feminino selvagem é algo que nos pertence e quando acionado nos ajuda a ter relacionamentos mais criativos, vivos e cheios de energia. Mesmo que por muito tempo tenhamos negligenciado a nossa natureza, ela sempre esteve lá.

Que possamos aguçar a nossa intuição, o dom da observação interna e sustentar a vida com a nossa arte que é visceral.

 

Com amor e coragem,

Regiane

www.regianeromero.com.br