A urgência de romper com a ideia que não estamos a altura do que queremos


A urgência de romper com a ideia que não estamos a altura do que queremos 

 

Então, você se sente um estranho e não tem para onde correr. Esse é um período de transição e você precisa tomar cuidado para não se deixar dominar pela dor e sofrimento.

A vida está de ponta cabeça e o último golpe foi forte demais. Não sabe o que fazer.

Chegou a hora de ver que é maior de idade. Não precisa que ninguém te console e apoiar seus pés no chão é o melhor que pode fazer.

Aprofundar em si mesmo, conhecer quem você é, ver as bagagens que carrega e soltar aquilo que já não te ajuda mais: essa decisão é sua.

Desconectar do apoio é absolutamente necessário para a construção de um indivíduo autônomo.

Nós NÃO somos crianças indefesas e pequenas demais para não fazer a nossa arte.

Cada um tem uma obra a ser revelada, uma arte a ser expressa, uma missão a ser cumprida. Qual a sua arte?

Quantas vezes ficamos como uma criança presa pelo lado de dentro do portão, olhando a vida acontecer lá fora. Não conseguimos ver que o portão nunca esteve trancado. Tudo que precisamos fazer é soltar o trinco e ir. Soltar-se da ideia de que não podemos.

Temos um sentimento enraizado de que “fomos deixado de fora”, “excluídos” e isso gera uma sensação que angustia.

Precisamos com urgência romper com a ideia de que não estamos à altura do que queremos. Talvez você acredite que não está à altura para atrair um novo par amoroso, ir morar sozinho, fazer aquela viagem para a Itália, abrir o negócio próprio, pedir desculpa para um amigo, trocar de carro, casar, se separar, assumir um novo cargo, falar o que sente.

O que você quer e não se sente à altura?

Enquanto achar que não está à altura para conseguir o que quer, ficará sempre na postura da criança frágil e indefesa, coisa que você não é.

Reconhecer que você pode é tão fundamental quanto a ação. Dessa forma você solta o trinco, abre o portão e inicia aquilo que tanto anseia ser.

 

Vídeo:  A urgência de romper com a ideia que não estamos a altura do que queremos.

 

Com amor, Regiane

www.regianeromero.com.br