Aceitar tudo em nós, principalmente quando fomos mentirosos, invejosos e gananciosos.


Pare de correr, pare de achar que não foi bom o bastante, pare de achar que falta um montão de coisas para fazer antes de relaxar. Esse é o paradigma da falta. A tensão, ansiedade, medo e desespero fazem tudo parte do mesmo pacote: a escassez.

Acabei de conversar com uma amiga e disse para ela o meu sentimento de não ser boa o bastante para certas coisas. Fixada nesse pensamento, eu estava carregando um transatlântico no meu peito.

Depois da nossa conversa, puflt, mudou. Agora pareço aquela flor dente-de-leão, sabe? Quando soprada, voa livre, leve, tranquila.

Não foi mágica não, foi perceber a realidade de outra forma.

Foi perceber que eu estava querendo ser outra pessoa, querendo ser mais resolvida, mais rápida, mais pronta. Mas eu não sou outra pessoa e não estou pronta.

Assumir o que sou me deu uma paz parecida com a satisfação de uma criança. Destampou um lugar apertado aqui no meu coração e começou a morar em mim um espaço claro, arejado, gentil e agradável.

Meu Deus!! Como tudo tem a ver com aquilo que focamos o nosso olhar. Ao ter o olhar de criança, bem tranquilo, despretensioso e inocente, a graça se revela. Nada muda por fora, ao mesmo tempo que tudo muda por dentro.

O bem-estar é  um indicador de estar de bem consigo e com aquilo que te acontece. É fazer o que nos cabe e cumprir com os objetivos com mais tranquilidade, sem nos matar no meio do caminho.

Aproveite a viagem. Aprecie a vida com a curiosidade de uma criança. Experimente a vida e, dessa forma, o relaxamento e a doçura vão fazendo parte do campo emocional.

É como se raiasse um lindo sol bem no coração, uma sensação de céu aberto.

Aceitar tudo em nós, principalmente as vezes que fomos mentirosos, invejosos e gananciosos. Assumir isso é relaxante.

Aí, depois que assumir e dizer em voz alta “EU SINTO MEDO/ INVEJA” (cada um coloca o adjetivo mais pertinente a sua vida), teremos melhores condições para nos dedicar em dissolver esses sentimentos dentro de nós.

Não mudar, mas parar de agir da maneira que nos faz mal. Dar importância e crédito para aquilo que nos eleva.

No momento que estiver cuidando da sua ferida, mantras são muito bem vindos, como, por exemplo, “minha vida é próspera em todos os sentidos”, “minhas ações repercutem bênçãos para todos”, “eu estou comigo”, “eu reconheço meu progresso”. “eu agradeço os milagres que sempre acontecem comigo”.

 

Vídeo: Aceitar tudo em nós, principalmente quando fomos mentirosos, invejosos e gananciosos.

 

 

Seguimos juntos

 

Com amor, Regiane

www.regianeromero.com.br