Suas Dores Não São Suas


Olá,

Compartilho com você um presente muito especial que recebi esse ano e agora será seu também.

Suas dores não são suas, por mais que você acredite fielmente que a história que viveu seja um retrato seu. Isso não é verdade. Você só está grudadinho no papel que representou nessa história. Está identificado e resistindo a ver outras possibilidades que você tem.

Pode ser que você esteja se massacrando ao se achar uma pessoa horrível pelo que fez, cruelmente se dando chibatadas e uma sentença de morte, desacreditando de como pode ter cometido esse erro tão absurdo. Ou pode ser que você esteja identificado no papel da vítima, achando que foi tão ferido que uma parte sua foi arrancada e, por isso, nunca mais poderá sorrir de volta.

Vítima e algoz são somente papéis e isso não representa a sua essência, que é naturalmente flexível e plástica.

Vou te propor para que se recorde de um acontecimento muito impactante que aconteceu em torno de cinco anos atrás com você. Lembre-se como aquilo foi difícil para ti naquele momento. Pode ter sido a demissão de um trabalho, um término de namoro, uma viagem que você não pôde ir ou a notícia de uma doença. Lembrou? E agora olhe como você está, hoje, diante dessa história. Diferente?

Viu? A história continuou sendo a mesma, mas a diferença é que você mudou. O tom que você dá para o fato atualmente é bem mais suave do que antes, não é mesmo?

Então perceba como é a ideia fixa que te aprisiona  no sofrimento. Identifique o papel que te congelou em uma história e reavalie. Enquanto ficarmos apegados aos papéis acreditando que somos aquilo que representamos, resistiremos à evolução que é inerente a nós.

Por isso, solte, deixe ir seu sofrimento. Fique com o aprendizado, só isso vale a pena levar no seu coração. Não solidifique a vida.

Aprendi que a nossa mente é plástica e, portanto, podemos descobrir outros caminhos que diferem daqueles que estávamos habituados para acessar o nosso bem-estar.

Esse exercício que estou te propondo fez tanto sentido para mim que antes eu achava que precisava carregar o erro como uma cruz pesada nas costas ou como sequelas que jamais poderiam ser reparadas. Bobagem minha.  

Se por muito tempo você percebeu que sempre foi controlador, incapaz, frágil ou fracassado, simplesmente solte-se e veja que as variações de ser o que quiser são infinitas. Honre tudo que passou e solte com amor. Você tem outras versões melhores, como também a pessoa que criou a história junto contigo. Veja-se sempre como um campo de possibilidades.

A vida começa a cada dia. Acredite, você é muito mais do que a história que vem contando.

Tudo muda e a nossa natureza é de transformação.

 

Aqui está um vídeo sobre esse tema: Suas dores não são suas! 

 

Com amor, Regiane

(Imagem - Dimitra Milan